30 de mar de 2008

E-mail a um jovem

Amado jovem, acabei de ler o seu e-mail, pedindo alguns conselhos a respeito de como encarar a juventude cristã com fé e sabedoria. Agradeço pela confiança que você deposita em minhas palavras. Os anos se passam e eu já não sou tão jovem, mesmo assim, creio que ainda tenho alguma experiência para repassar. Gostaria de deixar claro que não tenho todas as respostas às perguntas que você me faz em seu e-mail. Tentarei responder algumas delas, pelo menos as que considero mais importantes. Apelarei tanto à experiência pessoal quanto ao que considero ser a Palavra de Deus. Espero que você possa discernir quais conselhos são pessoais e os que provêm do Senhor. Recomendo, assim, que você examine tudo o que escrevo, e parafraseando o apóstolo Paulo, retenha o que for proveitoso para a sua vida.
Em relação aos estudos, sugiro que mantenha uma certa disciplina, não se deixe levar pela espontaneidade, separe partes do dia para tarefas específicas. Há tempo para todo o propósito debaixo do céu, por isso, tenha um momento particular, entre você e Deus, para a leitura da Bíblia e à oração, e, do mesmo modo, para as atividades escolares. Se possível, tente ir além do que o professor orienta. Pesquise, vá à internet, às bibliotecas, busque subsídios que ampliem os horizontes de seus conhecimentos. Mantenha uma prática rotineira de leituras, e, para isso, existem sempre bons livros evangélicos disponíveis. Mas não se restrinja a eles, leia também a grande literatura. Os autores clássicos, e alguns contemporâneos têm sempre algo a nos acrescentar.
Sobre a televisão, recomendo que seja mais criterioso. A programação da TV brasileira, dominada pelo mercado, é de péssima qualidade. Por isso, tenha cuidado para não desperdiçar todo o seu precioso tempo diante de programas que nada adicionarão à sua vida. O perigo maior é quando a televisão, ou mesmo a internet, passam a ter maior atenção, no dia-a-dia, do que a leitura e as atividades estudantis. Tente equilibrar as tarefas do dia-a-dia com sabedoria, pois o tempo é uma dádiva de Deus, e, no momento certo, dele prestaremos conta. Antes que me esqueça, não deixe de aprender uma outra língua. Existem muitas maneiras de fazê-lo, e a motivação determinará o bom êxito nesse particular. Se for possível, freqüente uma escola de línguas, mas não fique apenas nisso, pratique fora do ambiente escolar, leia e ouça na língua que pretende se desenvolver.
A respeito da profissão, nunca é fácil se posicionar, e essa parece ser uma das suas preocupações fundamentais no seu e-mail. Uma escolha acertada é fundamental na vida, e imagino, seja crucial, e às vezes, injusto, ter de fazer uma decisão nessa idade. O que tenho a dizer, de modo geral, é que, como cristão, o dinheiro não deva ser o critério básico. Decida-se por alguma profissão com a qual se identifica e que perceba que o Senhor será glorificado em seu exercício. Tenha em mente que, para o cristão, não existem trabalhos sagrados e seculares, seja no contexto eclesiástico, ou fora dele, podemos servir a Deus, desde que façamos tudo por fé. É por isso que, para o cristão, o tempo não é dinheiro, é, acima de tudo, uma oportunidade para servir e fazer o bem. O dinheiro poderá vir como conseqüência, jamais como um fim em si mesmo.
Por motivo de espaço, creio estar no momento de concluir, mas sem antes deixar de tratar de um outro assunto que você considera de profunda relevância: o namoro e o casamento. Entendo sua inquietação e espero ser capaz de orienta-lo nesse sentido, por isso, deixo-o à vontade para avaliar. Em primeiro lugar, não se envolva cedo demais em relacionamentos amorosos, pois há o risco de que você acabe comprometendo sua vida estudantil e profissional por causa das paixonites precoces da juventude. Não entre nessa onda do “ficar", alguns conselheiros dizem que quanto mais se “fica”, maiores serão as dificuldades para se encontrar uma pessoa com a qual se possa firmar um relacionamento duradouro. Pense bem a respeito, já que essa escolha irá determinar com quem você irá caminhar no futuro. Sei que não é fácil para os jovens, e mesmo para os mais velhos, mais não se deixe levar pela cultura do sexo e da beleza física. Existem outros valores que precisam ser cultivados e admirados, os quais, infelizmente, estão ofuscados pela mídia de massa.
Vou terminar, mas voltarei a escreve-lo em outra oportunidade. Por enquanto, medite nessas coisas, aprenda a ver as verdades do evangelho não como uma lei da parte de um Deus-estraga-prazeres. O Senhor não deseja que sejamos destruídos com o mundo, por isso, quando nos instrui, o faz em amor. O autor do Eclesiastes diz: “Lembra do teu Criador nos dias da tua mocidade”. Ele não apenas é o teu Criador é, também, um Deus Amoroso, que o atrai a Ele para que você desfrute da verdadeira felicidade. Foge, portanto, dos desejos desenfreados da juventude, renda-se ao jugo de Cristo, que é manso e suave, nEle, você encontrará descanso para a tua alma. Um forte abraço cristão e até o próximo. E não se esqueça, seguir a Cristo, e não as ondas das novas tribos, é a verdadeira contracultura.